Sunday, September 17, 2006

O incompleto...ser

O teu olhar deixou-me confuso… Um olhar perdido, vago, deixado ao acaso num cruzar de olhos pouco convincente… todo o meu corpo tremeu… tornando assim a minha existência física enfraquecida e todo o meu espírito entristecido…
Passei as horas seguintes vagueando à beira-mar, os meus pés banhados por uma refrescante alma… e a minha alma em sucessivos tumultos banhados por pensamentos pouco límpidos e seguros…o teu toque deixou…

(Relembro agora o teu toque…é uma brisa leve que beija suavemente os meus olhos, que os faz fixar o horizonte num acto infinito e nesse mesmo instante sinto um toque de veludo nos meus lábios, um cheiro a flores que num impulso, num acto de control descontrolável, … libertam a sua mais louca fragrância. É a tua essência…)

Ainda agora sinto o toque da tua mão na minha, e vejo e revejo aquele momento único, aquele espaço temporal inactivo onde tu… largas a minha mão… olhas para mim e deixas um perfume de um sorriso tímido e leve… e… oiço um conjunto de letras que como de um código encriptado se tratasse…”Até amanha”…

Indefinido, estranho, confuso assim estou …


Por um momento que fosse
Gostava que me lesses a alma,
Que me saboreasses como de um livro se tratasse

Por um momento que fosse
Gostava que provasses as minhas lágrimas
E num copo de vidro as guardasses…

5 Comments:

Anonymous Mel said...

Hoje, meu amigo, coincidentemente, falei a uma amiga, de algo semelhante ... de um estado de alma, de um momento que ficou no meu registo de vida. E eis que, senão quando, venho ao teu Blog e encontro este belíssimo texto! Incrível ... Que dizer? Nada! Não há coincidências ...
Olha, como adoro "tecer" poemas em torno dos outros, perdoa de novo este abuso mas vou continuar o teu poema, como se meu fora. Bruno, o Jazz é lindo! “Cinco minutos de Jazz”, o programa há mais anos na rádio... Porque será? J J
***
"Por um momento que fosse
Gostava que me lesses a alma,
Que me saboreasses como de um livro se tratasse

Por um momento que fosse
Gostava que provasses as minhas lágrimas
E num copo de vidro as guardasses…"

Por um segundo que fosse,
enrolar-te-ia nesta teia de luar.

Para teu corpo, faria um baloiço
talvez uma canoa, talvez um jangada
... nela nos faríamos ao mar!

Gota a a gota, estrela a estrela
traçaríamos uma nova rota,
sem medo de naufragar ...
Grande é o Amor ... ao Mar!

Por um momento que fosse,
um segundo apenas, meu querido,
Gostava que me lesses a alma,
desfolhada ao vento,
no acaso de uma vaga calma.

Que me saboreasses como de um livro se tratasse
lentamente, sem pressas e sem receios...
Terno é o gesto de dar!

Por um momento que fosse,
um segundo apenas, meu querido
lesses os sentimentos como
se fossem letras soltas ...
loucas letras ...
corais do mar ...
sempre a brilhar!

Me acalmasses o corpo,
me fizesses serenar ...

Por um momento que fosse
Gostava que provasses as minhas lágrimas... no calor de um beijo.
(louco desejo!)
Que são de sal e mel,
que são de amor e dor,
que são o grito, que são o canto...
Que de mim própria me espanto!

E num copo de vidro as guardasses…
para sempre, tal eu guardo
o teu registo dentro de mim,
neste Mar imenso que não tem fim!

Nesta vaga que passa sinto o teu cheiro...
Aquele que guardei em igual taça!

Bruno, aceita este presente como um tributo ao mais belo sentimento - o Amor - aquele que nos faz sentir mais pessoas, mais gente, melhores seres!

Bjs da Mel (por aí...)

PS: Desafio-te a visitares um BLog de uma "amiga" - AVeneziana.http://aveneziana.blogs.sapo.pt - é um Blog por uma causa: Escrever e doar a escrita para produzir livros cujos fundos reverteriam para Organizações de apoio a crianças desfavorecidas em África. Passa por lá amigo ...

5:01 AM  
Blogger _aifos_ said...

De blogs para blogs, encontrei este!
Gostei muito deste "post". Terei de voltar para ler mais!

2:04 PM  
Anonymous Sandra Daniela said...

Bruno... estou sem palavras para comentar... apenas te digo que me deixaste com as lágrimas nos olhos!

foi este o momento em que li... que me revi... e desjava que algúem me lesse a alma e não fosse preciso gritar: Estou aqui sou algúem!

beijo grande!!!

3:00 PM  
Anonymous MEDUSA said...

Por um momento que fosse
Gostava que me olhasses
Em mim reparasses
E em ti me guardasses

Por um momento que fosse
Queria que a minha dor fosse tua
O meu sofrer te impregnasse
Para que de mim te lembrasses

Por um momento que fosse
Por um momento apenas
O meu sentir se apoderasse
Da tua alma
E n'ela se colasse...
... por um momento que fosse

Um beijo e um eco de mim

10:02 PM  
Blogger sónia said...

aiiii...que bom...
quase que dá para sentir o que escreves..mt bom mm..

9:24 AM  

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home