Tuesday, September 05, 2006

O silêncio da tua prensença

Perdido, sento-me no escuro, tento escutar o silêncio que me rodeia pois as palavras que hoje emito são meros grunhidos sem sentido que transbordam de uma alma pobre, enfraquecida pela descoberta matinal de que nada mais tinha a oferecer a este mundo… Hoje sou aquilo que sempre temi, sou tudo de um nada, um nada que enche um vazio pouco consistente reflectindo um vendaval de emoções absorvidas por esse tal nada, libertando aí as minhas lágrimas de um tudo perdido… fundido numa alma pobre e vaga… sim, sou eu … já não oiço as minhas palavras, já não oiço o bater do meu coração, já não oiço a voz da serenidade, já não me oiço…eu que vivo da calma, da paz, de rir, e sim …do amor…, onde estou, quem sou eu …? Sou aquilo que sempre temi…
A alma … onde esta a minha alma… estou angustiado por algo que não sei explicar estou perturbado por algo que sei… ou não…
Não sei aquilo que alguém me disse que iria saber, mas sei que o que sou hoje, sim hoje e não amanha mas hoje, não sou o que fui ontem, no entanto gostava que a minha alma fosse aquilo que foi, antes de ser aquilo que é … e eu deixar de ser aquilo que sou … pois sou aquilo que sempre temi… sou vago ou as minhas palavras enchem algo que a torna tão completa, estou confuso ou será que estou lúcido, será que tudo isto e simplesmente uma alucinação de uma alma descontrolada por falta de alguém que neste momento não a sabe ler, ver ou talvez tocar…. Pois com um pouco de vontade as palavras que aqui escrevo para alguém seriam transmitidas pelo toque carinhoso e quente, como esta palavra que me beija a face e desce vertiginosamente e, de leve toca os meus lábios deixando um doce e eterno sabor a insanidade, loucura ou …. Talvez deixe um toque simples de solidão…


Senta -te e fecha os olhos
Tudo a tua volta tem formas
Formas que te incutiram de caracteriza-las
Mas escuta-as
O que dizem, o que falam?
Sente, mas não as sintas só por sentir
Sente-as por queres
Sente-as porque elas têm algo para te dar
Sente e absorve o bom e o mau
Pois mau ajuda a crescer
O bom ajuda a sorrir

Ri
Ri todos os dias
Mesmo quando o rir não passo de um gesto consciente e forçado
Ri porque rir é algo que nos liberta a alma
Que nos liberta o sonho

Senta te e sente
Sente o que te rodeia
Sente aquilo que já mais pensaste sentir
Mas sente porque queres
Sente porque evoluíste

Senta te aqui
Senta te e tenta ouvir
Ouvir o que vem de mim
De mim, não da minha boca
Sente a minha pulsação
E não o suor dos meu olhos
Sente

Mas sente porque queres,
Não sintas porque achas que fica bem
Senta te ao pé de mim
O que vês

Vê mas vê sem abrires os olhos

As palavras que te escorregam na pele
Não abras olhos
Porque eles podem dar te um mundo, é verdade
Mas se os manténs abertos, erradamente
Dão te um mundo irreal
Um mundo onde tudo o que farás
Não passará de uma deambulação de palavras
Sem fim que caíram longe de um gesto palpável

Senta te aqui ao pé de mim
Senta te e sente
Sente o meu toque
Sente os meus lábios
Mas acima de tudo
Sem abrires os olhos

Sente aquilo que me vai na alma
Aquilo que te dou
Mas não te vendo
Aquilo que te dou se quiser
A um sentir que não perdes

Senta te aqui ao pé de mim
Senta te e sente

Agora o que sentes
Com o que te rodeia?
É o mesmo de à instante?
Ou será que mudou?

Diz o que sentes
Mas diz me sem abrires os olhos
Pois o que vês não é com os olhos
“É com alma de muita gente.....”

4 Comments:

Blogger João Silva said...

não começes a ser mais sintético nos "posts" que não vale a pena!
;)...o ppl trabalha e tem carradas de blogs pra visitar! A malta assusta-se logo! eheh

a parte séria: fizeste-me lembrar parte de uma musica do palma que diz assim... "Buscando sem saber bem o quê.
Perdido como quem não vê.
Calado como quem não tem resposta para quem o chama.
Desesperado, como quem por ter medo da desilusão não ama."

5:21 PM  
Blogger sónia said...

..já puxei uma cadeira..mas prefiro sentar-me no chão ;)
gostei...e sorri ;)

4:38 AM  
Anonymous cleo said...

São medos
São perguntas
... sem resposta
São sentimentos
Duvidas
Anseios e desejos
São os sentires da alma
Uma alma em constante conflito com o seu próprio "eu"!
Acontece muitas vezes...
Faz bem á alma!!

Um beijo soprado

PS. Muito bem vindo ao mundo da blogosfera!

4:42 AM  
Anonymous Mel said...

Bruno, mas será que deixaste de escrever? Amigo, então essa energia? Olha, amigo, hoje escrevi para ti! Estava triste, ouvi a Jacinta e decidi escrever nas minhas nuvens ... negras. Vai até lá. É uma oferta, do coração e um tributo ao Jazz (música negra...como a minha Alma, acredita)
Hoje, Bruno, chove demais ... em mim!
Parabéns Bruno ... descobriste o "lugar" secreto... eu ao acordar (qd lá estou, claro...) vejo a Baia do Baleal... de frente!
Bjs de Mel!

11:38 AM  

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home