Saturday, September 09, 2006

PARA TI...

Hoje deambulo por pensamentos que me prendem as palavras… gostava que de um único sussurro pode-se dizer o que eu acho de ti… e tenho a certeza que sairia da minha boca um pouco entreaberta uma voz que melodicamente se transformava num som audível e numa linguagem entendida por ti… és a minha outra metade…

A tua maneira de olhar para mim com tamanha tranquilidade faz me desejar que não te afastes de mim, que me deixes com um toque suave os meus lábios tocarem nos teus, e o toque da minha mão na tua face provocar um arrepio que num único sentido fosse uníssono em ambos, pois então seríamos um só…


Sento me rodeado de pensamentos, deito me rodeado de filamentos… as palavras beijam os meus olhos e num acto descontrolado os fecho e grito num silencio ensurdecedor…todos os elementos da noite me acompanham numa sinfonia silenciosa de puro sentimento onde a tua imagem com um sorriso brilhante acalma esta alma um pouco agitada…e com tanta turbulência sentimental, num estado desorganizado (“onde o caos é uma ordem por descobrir”) a minha alma encarecida experiência o mais bonito dos sentimentos…


Deixo a minha alma liberta
Para que possa voar
Para que no infinito do pensamento
Ela livremente … possa amar

8 Comments:

Blogger sónia said...

love is in the air........ ;)

7:54 AM  
Blogger Anabelacps said...

Temos poeta, hein?

9:30 AM  
Blogger Menina da Lua said...

Espero que essa outra metade saiba corresponder tanto amor!

6:53 PM  
Anonymous florencenightingale said...

Lindo!!!Como só tu sabes...

3:45 AM  
Anonymous cleo said...

Feliz da alma a quem sussuras baixinho... belas palavras de amor!


Um beijo soprado

11:09 AM  
Anonymous MEDUSA said...

A paixão, é sempre uma fonte de inspiração inesgotável...
E tu, sabes usá-la muito bem!

Um eco de mim

11:12 AM  
Blogger redonda said...

Bem vindo à Blogosfera. Gostei do que aqui li.

3:17 PM  
Anonymous Mel said...

Bruno, hoje desci aos dias em que estive fora para te ler! Curioso, amigo, quase me leio! Uma vez mais, e ao meu jeito - desculpa, vou continuar o teu poema, como se meu fora! Um dia, se me permitires publico no Blog da AVenezina, como uma Melodia a quatro Mãos! Concordas?
***
"Deixo a minha alma liberta
Para que possa voar
Para que no infinito do pensamento
Ela livremente … possa amar... "

Solto aos quatro ventos
todo o turbilhão de sentimentos
que me povoam o meu corpo,
que me avassalam o pensamento ...
Soltos ao vento ... voam!

Solto no Espaço Sideral
este cometa preso em dia de Lual.
Sobe, Cometa ... sobe, sem medo,
tal papagaio de papel ...

Hoje, meu querido,
contratei uma Orquestra Sinfónica,
chamei a Orca e a Gaivota,
chamei a andorinha e a marmota,
chamei todos os peixes do mar
e as aves do ar...

E todas vieram
para me ajudar nesta canção
de ninar ... só p’ra te embalar!

E deste século de ausência
faço um instante,
embalo-te em vagas
são tal lendas e histórias,
te beijo os olhos, te afago a Alma,
e afasto de ti, vendaval de memórias ...

Das dobras do vento
que passa, p'ra lá da amurada
faço o nosso manto, a nossa estrada.
Destas singelas palavras, que são teu manto,
teço o nosso canto!

Cantemos na língua dos animais,
que neste instante, amigo, amor ...
somos tão iguais ...

Hoje deixo ...
o toque suave dos meus lábios tocarem nos teus,
o toque das minhas mãos acarearem a tua face morena!
Tal uma pena, deslizam ...
serenas ... as mãos, osculam-se os lábios ...
são oração!

E de novo as almas se enroscam,
se fundem, se enleiam, se amam e anseiam,
num terno, longo e perene nó,
no arrepio de sermos dois e
apenas ... um só…

****
Bruno, recebe este modesto contributo, como o de alguém que gosta de partilhar o que escreve, ou "ensaia", melhor dizendo, com outras almas românticas!

Um abraço da Mel, por ai, nas Comunidades!

3:50 AM  

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home